Mecanismos de Evolução

Ao longo da história foram propostas duas teorias explicativas da actual biodiversidade: o fixismo e o evolucionismo. De entre os principais defensores da ideia de evolução destacam-se Lamarck e Darwin. Escolhe a teoria correspondente a cada uma das afirmações. No final, clica em "Verificar" para verificar as respostas.
O ambiente é o principal agente responsável pela evolução dos seres vivos.
As transformações sofridas, provocadas pelo ambiente, quer no sentido do desenvolvimento do órgão, quer da sua atrofia, eram transmitidas à descendência.
O número de espécies actuais é o mesmo que as que foram criadas no início dos tempos.
Os seres vivos apresentam variações sobre as quais actua a selecção natural.
As espécies são entidades fixas que se perpetuam no tempo.
Todas as características, que o meio leva os indivíduos a desenvolverem, são transmitidos à descendência.
Devido a necessidade de respirar ar atmosférico, um dado animal, passou a apresentar pulmões e transmitiu essa característica aos descendentes.
As toupeiras actuais têm olhos atrofiados porque os seus ancestrais, por viverem sob a terra, não necessitavam da visão.
De tanto comerem erva, o intestino dos herbívoros foi ficando cada vez mais longo.
A necessidade que os seres sentem de se adaptarem a novas condições ambientais conduz ao uso ou ao desuso contínuo de certos órgãos.
A função que o órgão desempenha acabará por determinar a sua estrutura como forma de adaptação ao meio.
São seleccionados os indivíduos que, na luta pela sobrevivência, têm características que lhes conferem vantagem.
Os seres vivos da mesma espécie apresentam variações entre si.
A população tem tendência a crescer em progressão geométrica, no entanto, o número de indivíduos não se altera de geração em geração.
Em cada geração é eliminado um grande número de indivíduos através de uma luta pela sobrevivência.
Nesta luta pela sobrevivência sobrevivem os que estiverem mais adaptados, isto é, os que possuírem características mais aptas, sendo os restantes eliminados progressivamente.
Os indivíduos mais bem adaptados vivem durante mais tempo e reproduzem-se mais, transmitindo as suas características à descendência, ou seja, verifica-se uma reprodução diferenciada.